----

Sejam bem vindos ao Meu Mundo Subjetivo!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Um breve comentário

O Serão dos Miseráveis
Brevemente

Uma noite fria, a lareira aquece o ambiente que aguarda o início da reunião que tratará de sentimentos pobres de pessoas socialmente vistas como indigentes. Não pela falta de moradia digna ou trabalho, mas de sentimentos que as tornem iguais aos valorosos cidadãos deste mundo decadente.


Os poemas de O Serão dos Miseráveis traduzem muito bem as realidades moldadas e revela almas podres que não se envergonham de ser como são, somente estão deslocadas numa sociedade padronizada.
Uma coleção de poemas de Luís Pinto da Silva, que há bem pouco tempo lançou uma promoção em seu blog Plano das Palavras (http://planodaspalavras.blogspot.pt) premiando cinco vencedores, eu tenho a honra de escrever que estou no meio dos premiados com a Coletânea de Devaneios. Depois disso, para minha alegre surpresa fui convidada a revisar sua nova coletânea, brevemente disponível para seu público e aqui registro minhas impressões. Porém, cada leitura terá sua própria  visão e compreensão de tão divinas palavras. É impossível não se emocionar e ao mesmo tempo refletir as falhas que temos e a maneira como lidamos com estas, seja reprimindo-as ou sendo quem somos sem preocupação com opiniões. Afinal, existem pessoas que fogem dos padrões e pagam o preço.


Estou feliz em te acompanhar na exploração da Poesia, meu querido Luís.Esta vai além da imaginação, numa espécie de condução que liga o poeta ao infinito, dando-lhe o poder de criar múltiplas personalidades e trazê-las para nossa realidade ou evocá-las de outras realidades.
Por isso a Poesia é atemporal. O limite entre o sonho e o real. Cabendo a você, leitor, encontrar o ponto de intersecção e mergulhar mais pura emoção de desvendar mundos, se identificar com as personalidades criadas na obra aqui comentada, chorar ou sorrir e deixar-se conduzir no seu repentino refletir.



A vida tem de ser vivida de modo que seja desafiadora e prazerosa. Mas, há aquelas pessoas que colocam o dinheiro acima de tudo. Quando percebem estão sozinhas e infelizes, pois nem a fortuna que acumulou lhes proporciona felicidade.
Torna-se o único consolo e como droga que vicia, vai querer sempre mais, mais e mais!
Conhecem o sabor dos melhores vinhos, porém permanecem sozinhas, sem carinho sincero nem amor de verdade.
Todos se aproximam pela fortuna, pelas regalias se tornam bons convivas para comer e beber do melhor.
Apresento-lhes o Enregelado Moribundo, um dos participantes deste Serão; buscou tanto por fortuna que acabou preso nas paredes de seu gélido desejo de prosperar.
Temos uma ideia de liberdade. Mas o que seria ser livre?
Viver ao acaso é uma escolha.
Viver alienado à sociedade é o caminho que trilhamos sem perceber, mesmo quando acreditamos ter liberdade de escolha.
Nesta situação, se encontra o Prisioneiro do Acaso que na busca de superar limites percebeu-se vítima das amarras da liberdade tão idealizada.
E para aumentar mais um pouquinho sua curiosidade, falo agora de pessoas que nunca estão satisfeitas buscando sempre superação: superar todos e prevalecer como a melhor numa obra interminável. Porque sempre haverá pessoas que se destaquem na arte e na vida.
Cada um possui um brilho e ninguém consegue ofuscar, é somente preciso compreender as diferentes intensidades desse brilhar.
Luís trata desta personalidade brilhantemente e a denominou Eterna Insatisfeita. Você mal pode esperar, não é mesmo querido leitor?

 Recomendo e sei que vai apreciar a leitura, se emocionar com os demais participantes e talvez peça-lhes a vez, pois sentirá vontade de falar. Que sentimentos irá a compartilhar?




....Frag-men-tos....Meus....